O PROTAGONISMO DAS MULHERES CAMPONESAS NA (RE)PRODUÇÃO DAS RESISTÊNCIAS DO ACAMPAMENTO ZÉ MARIA DO TOMÉ/CE

  • Rafaela Lopes de Sousa
  • Camila Dutra dos Santos
Palavras-chave: Acampamento Zé Maria do Tomé; |Mulheres Camponesas; Produção Agroecológica; Resistências.

Resumo

Diante das atrocidades acometidas pelo agronegócio na Chapada do Apodi/CE, formam-se
diversas resistências protagonizadas por camponeses e camponesas que, cotidianamente,
enfrentam problemáticas relacionadas à terra, à água, ao ambiente e à saúde. O Acampamento
Zé Maria do Tomé, localizado na Chapada do Apodi, e vinculado ao MST, é um lócus de
resistência ativa frente ao capital hegemônico materializado pelo agronegócio nesse território.
As mulheres do Acampamento são portadoras de uma série de sentidos políticos que se
evidenciam a partir de seus depoimentos e engajamento no movimento de luta pela terra, pela
água e pela valorização da produção agroecológica na Chapada do Apodi e no Acampamento
Zé Maria do Tomé. Objetivamos, neste ensaio, analisar o protagonismo das mulheres do
Acampamento Zé Maria do Tomé nos processos de resistência, os quais trazem rupturas com
o modelo de produção do agronegócio

Publicado
2021-07-14
Seção
Trabalhos apresentados sobre Mulheres, Feminismos e Agroecologia