ENTRELAÇANDO CAMINHOS: MOVIMENTO AGROECOLÓGICO E LUTAS FEMINISTAS NA CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA ÓTICA DO SABER

  • Bárbara Letícia Lopes
  • Daniele Taís Silva Sobrinho
  • Isabela Angélica de Morais
  • Lauanda Lopes de Souza
Palavras-chave: Agricultura Convencional; Agroecologia; Feminismos; Mulheres Rurais.

Resumo

A agroecologia é mais que uma ciência, é um modo filosófico de vida, é luta, é resistência, é
construção e desconstrução da ciência, esse conhecimento está estruturado em três princípios:
ciência, prática e movimento. O feminismo é um movimento social que luta pela igualdade de
condições entre homens e mulheres, de forma que ambos tenham os mesmos direitos e as
mesmas oportunidades, preconizando o aprimoramento e a ampliação do papel e dos direitos
das mulheres na sociedade. Desta forma, o objetivo desse estudo é compreender o processo de
construção da agroecologia enquanto um paradigma teórico e um movimento prático da
agricultura que está em divergência com o que se entende hoje como a agricultura
convencional/moderna. Desse modo, a perspectiva é entender como a agroecologia e os
movimentos feministas podem se fortalecer na construção de um novo modelo de sociedade.
A agroecologia nesse sentido, vem em oposição ao que tem sido implementado pela agricultura
convencional nos últimos tempos, incentivando debates e propondo alternativas para se pensar
em uma forma de produzir e de se relacionar com o ambiente de forma sustentável,
incorporando os saberes tradicionais nas suas práticas e na sua construção teórica. Além disso,
os agricultores e agricultoras têm um papel crucial para o desenvolvimento da agroecologia e
consequentemente para um desenvolvimento rural sustentável. Desta forma a agroecologia ao
agregar as pautas feministas nos seus princípios, incidem na construção do processo de
“empoderamento” e autonomia das trabalhadoras rurais.

Publicado
2021-07-14
Seção
Trabalhos apresentados sobre Mulheres, Feminismos e Agroecologia