Viveiros municipais e agroflorestas, um estudo de caso em um município do Bioma Pampa

  • Ana Beatriz Devantier Henzel UFPel
  • Joseane Cruz Monks
  • Ernestino de Souza Gomes Guarino
  • Adalberto Koiti Miura
Palavras-chave: Espécies nativas; Mudas florestais; Horto; SAF

Resumo

O trabalho objetiva destacar o potencial papel dos viveiros municipais para o desenvolvimento de agroflorestas. A pesquisa, de caráter exploratório, se realizou a partir de uma entrevista do tipo semiestruturada, aplicada ao funcionário público municipal responsável pelo viveiro de mudas no município de Piratini, no Sul do Rio Grande do Sul, Brasil, em outubro de 2018. Na concepção do entrevistado, o sucesso na implantação de agroflorestas no Bioma Pampa é factível e os viveiros municipais podem apoiar agricultores que desejam desenvolver agroflorestas, através da produção de mudas de espécies nativas. O papel desempenhado no horto vai além das orientações de seleção de espécies e manejo adequado, e se aproxima da educação ambiental, visto que o cotidiano da atividade proporciona outras formas de saber que muitas vezes não estão disponíveis na literatura, ou seja, a experiência do técnico e o reconhecimento pela comunidade, do trabalho que este desenvolve, confere legitimidade às informações passadas por ele.

Publicado
2022-03-23
Seção
RTA - Desenho e manejo de agroecossistemas de base ecológica e em transição