Caracterização agronômica e nutricional de genótipos de feijão miúdo do Banco de germoplasma da Embrapa Clima Temperado

  • Gilberto Antonio Peripolli Bevilaqua Embrapa Clima Temperado
  • Regis Araujo Pinheiro Universidade Federal de Pelotas
  • Josuan Sturbelle Schiavon Cooperativa Cooperfumos Ltd
  • Lester Amorim Pinheiro Embrapa Clima Temperado
  • Iraja Ferreira Antunes Embrapa Clima Temperado
Palavras-chave: Vigna unguiculata, fenologia, rendimento de grãos, proteína, fibras.

Resumo

As leguminosas de duplo propósito são fundamentais para a sustentabilidade dos sistemas de produção por apresentarem diversas funções como cobertura de solo, adubação verde, fixação de nitrogênio, forrageamento animal e produção de grãos para a alimentação da família agricultora. O feijão-miúdo enquadra-se perfeitamente neste conceito e vem expandindo sua área de cultivo em diversas regiões, além de produzir grãos com rapidez. Foram analisados acessos de feijão miúdo, do banco ativo de germoplasma da Embrapa Clima Temperado, com o objetivo de analisar o comportamento das plantas e a qualidade nutricional das sementes. A semeadura do feijão miúdo em janeiro permite a obtenção de rendimento de grãos de 2.234 kg ha-1 e realização de apenas uma colheita. Os genótipos G 242 e Baio apresentaram maturação das vagens aos 73 dias e destacaram-se pela precocidade. G 205 apresentou rendimento de grãos de 3.357 kg ha-1, superior aos demais genótipos. O genótipo G 152 destacou-se em alto teor de proteína no grão, sendo que o valor médio dos genótipos foi de 32,4%.

Biografia do Autor

Regis Araujo Pinheiro, Universidade Federal de Pelotas

Mestre em Sistemas de produção agricola Familiar SPAF, UFPEL

Josuan Sturbelle Schiavon, Cooperativa Cooperfumos Ltd

Mestre em agricultura orgânica, UFRRJ

Lester Amorim Pinheiro, Embrapa Clima Temperado

Mestre em Ciencia de Alimentos, UFPEL

Iraja Ferreira Antunes, Embrapa Clima Temperado

Doutor em Melhoramento de Plantas, USP

Publicado
2022-03-21