As feiras da agricultura familiar convencionais e o necessário debate sobre a transição agroecológica

  • Livio Sergio Dias Claudino
  • Laila Mayara Drebes
  • Andrea Hentz de Mello
  • Danielle Wagner Silva
Palavras-chave: circuitos curtos, comercialização, mercados agroecológicos, desenvolvimento territorial

Resumo

As feiras da agricultura familiar têm crescido de maneira significativa nas últimas décadas, recolocando a importância dos circuitos curtos de comercialização para o desenvolvimento regional, e trazendo à tona noções como sustentabilidade ou agricultura natural. Porém, constatamos que predominam feiras compostas por agricultores que produzem em sistemas convencionais não agroecológicos. A partir de revisão bibliográfica, o texto tem o objetivo de explorar como tais empreendimentos podem favorecer a transição para a agroecologia, discutindo o papel de tais iniciativas para a construção de modos de pensar a produção e circulação de alimentos de modo mais localizado, trazendo consigo motivações também para a valorização de produtos regionais e de preservação ambiental. Como resultados, indica a importância das políticas públicas e da conscientização dos consumidores para a transição agroecológica.

Biografia do Autor

Laila Mayara Drebes

Docente do Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia (PDTSA) da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

 

Andrea Hentz de Mello

Docente do Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia (PDTSA) da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

Danielle Wagner Silva

Docente Instituto de Biodiversidade e Florestas (IBEF) Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA)

Publicado
2022-03-23
Seção
RTA - Desenvolvimento rural, políticas públicas, movimentos sociais e culturais