Desenvolvimento vegetativo da batata-doce cultivada em consórcio e com diferentes técnicas de plantio

  • RODRIGUES, Bruno Santos Universidade Federal de Goiás – Regional Jataí
  • ASSUNÇÃO, Hildeu Ferreira NEAF – Núcleo de estudos, pesquisa e extensão em agroecologia e agricultura familiar
Palavras-chave: Arranjo triplo, Fator de cobertura, cultivo sintrópico, Agricultura familiar

Resumo

O presente trabalho visa apresentar o resultado da resposta vegetativa da batata-doce frente
às diferentes técnicas de cultivo sintrópico com mandioca e milho, buscando gerar tecnologias
alternativas para a agricultura familiar. Um ensaio foi conduzido no campo experimental
do CVT-CIAgro/UFG, regional Jataí. Adotou-se o delineamento experimental em quadrado
latino com 4 repetições e 4 tratamentos com arranjos triplos: batata-doce plantada longitudinalmente
+ mandioca plantada transversalmente + milho sem fertilizante (T1); batata-doce
plantada transversalmente + mandioca plantada verticalmente + milho com Azospirillum (T2);
batata-doce plantada em rodilha + mandioca plantada a 45° + milho com salitre do Chile (T3);
e batata-doce plantada com ponta exposta + mandioca plantada longitudinalmente + milho
com ureia encapsulada (T4). Foram feitas imagens aéreas do ensaio para determinação do
fator de cobertura da batata-doce. Após o tratamento e Análise das imagens, os dados foram
submetidos à Análise de variância, indicando não haver diferença significativa na ramificação
da batata-doce, independente da técnica de cultivo.

Publicado
2018-08-20