Agroecologia e os desafios da agricultura familiar no extremo sul da Bahia

análise a partir das feiras locais

Autores

  • Tarciso Breno Melo Calixto Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Frederico Monteiro Neves Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Dirceu Benincá Universidade Federal do Sul da Bahia

Palavras-chave:

sustentabilidade, direito à terra, economia solidária, políticas públicas

Resumo

A agricultura familiar, atualmente, é quem produz a maior parte dos alimentos que vão para a mesa da população brasileira. Após um longo processo de luta, ligado principalmente ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), pelo direito à terra, muitos trabalhadores rurais conseguiram um espaço para desenvolverem suas atividades e dali tirar seu sustento. Apesar desse grande passo dado, são necessárias outras medidas para que a agricultura familiar se realize de maneira sustentável. Esse estudo busca fazer uma abordagem da agricultura familiar em feiras do extremo sul da Bahia, analisando os conceitos de agroecologia e sustentabilidade aplicados à realidade desses agricultores. Procura entender as principais dificuldades enfrentadas pelos agricultores familiares, os avanços que já ocorreram e as possíveis soluções para as demandas atuais.

Biografia do Autor

Tarciso Breno Melo Calixto, Universidade Federal do Sul da Bahia

Discente do Bacharelado Interdisciplinar em Saúde da Universidade Federal do Sul da Bahia.

Frederico Monteiro Neves, Universidade Federal do Sul da Bahia

Doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento. Professor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Campus Paulo Freire - Teixeira de Freitas (BA) – Brasil.

Dirceu Benincá, Universidade Federal do Sul da Bahia

Doutor em Ciências Sociais com pós-doutoramento em Educação. Professor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Campus Paulo Freire - Teixeira de Freitas (BA) – Brasil.

Downloads

Publicado

2020-07-10

Edição

Seção

CBA - Economias dos Sistemas Agroalimentares de Base Agroecológica